Urbanization

Urbanização e construção na era da América Latina inteligente

A América Latina é uma das regiões com urbanização mais rápida do mundo. Prevê-se que, até 2050, 90% dos latino-americanos residirão em cidades. No começo, o planejamento urbano teve dificuldade em acompanhar o ritmo. Hoje, inovações integradas na Internet das Coisas e conectividade estão trazendo mudanças, transformando as cidades em polos de soluções inteligentes. As regiões urbanizadas que mais recorrem a tecnologias inteligentes para melhorar os serviços podem ajudar a garantir que a qualidade de vida acompanhe o crescimento populacional. Principalmente a indústria de construção civil mostrou como a combinação de tecnologia inteligente, conectividade ampla e design sustentável e de uso misto podem melhorar a vida urbana. O URBAN HUB confere alguns exemplos de construções impressionantes na América Latina.
Urbanization
Nossas cidades, nosso futuro - A urbanização, uma tendência que não mostra sinais de diminuição, mudará muito a forma como vivemos, trabalhamos e interagimos em nossas comunidades.
180 visualizações

Criado em 02/09/2020

De país a cidade em números recordistas

A América Latina tem as maiores taxas de urbanização do mundo.1 De 1950 a 2010, a porcentagem de pessoas que vivem nas cidades foi de 30% para 85%. Cidades como São Paulo e Cidade do México estão entre as maiores do mundo, cada uma com mais de 21 milhões de habitantes. Prevê-se que, até 2050, 90% da população da região residirá em áreas urbanas.2

É claro que essas metrópoles em expansão também são potências econômicas. Para fornecer serviços que não apenas acompanham esse desenvolvimento, mas também alimentam o novo crescimento e inovação, as cidades precisam investir em tecnologias inteligentes. No entanto, no começo, muitas cidades latino-americanas estavam atrasadas na construção de um forte setor de TI e uma infraestrutura de dados com alta conectividade.

Mexico City

Cidade do México, México

Um crescimento inteligente é sustentável

Seja em termos de governança, mobilidade urbana, negócios ou segurança, as cidades da América Latina já viram muitos desafios associados ao rápido crescimento das cidades. Após um atraso inicial, elas agora estão usando tecnologias inteligentes incorporadas na Internet das Coisas e Big Data que lidam com pontos de dificuldade (pain points).

Cidades como Rio de Janeiro e São Paulo no Brasil ou a Cidade do México no México estiveram entre as primeiras a adotar soluções inteligentes tecnológicas, como o monitoramento em tempo real do tráfego e da criminalidade ou o uso de aplicativos urbanos interativos para uma melhor governança.

Medellín, na Colômbia, não ficou muito atrás, transformando-se em um centro de alta tecnologia; mais da metade dos negócios da cidade são dedicados às TIC. Outras cidades em ascensão ganharam uma reputação por serem dinâmicas, como Monterrey, México, onde investimentos na última década geraram uma indústria tecnológica que cresceu três vezes mais rápido que em qualquer outra parte do mundo.

Airport Florianópolis
Airport Florianópolis

Aeroporto de Florianópolis

Construindo cidades inteligentes

A governança inteligente de cidades e negócios com novas tecnologias estão em crescimento na América Latina, mas talvez nenhum outro setor tenha mostrado uma fusão tão abrangente de conectividade, sustentabilidade e melhores serviços que a construção civil.

A região tem tido investimentos significativos em projetos de infraestrutura pública: no Brasil, grandes projetos de mobilidade urbana no Rio de Janeiro na preparação para a Olimpíada de 2016, a reforma do sistema de metrô de São Paulo e a ampliação do Aeroporto de Florianópolis. E na América Central, a expansão do Canal do Panamá. Todos esses projetos de infraestrutura apresentam soluções inteligentes incorporadas na Internet das Coisas.

No setor privado, novos edifícios são um símbolo de transformação e da adoção de tecnologias inteligentes na região, e também de um desejo por soluções verdes – tanto São Paulo quanto a Cidade do México são pioneiras nessa área. Por meio do uso de sistemas integrados de edifícios inteligentes para segurança ou HVAC, os edifícios estão exibindo o que há de mais novo em tecnologias de ponta e eficiência energética.

A thyssenkrupp Elevator está envolvida em muitos projetos de construção na região; a solução de manutenção preditiva MAX e elevadores ultramodernos trazem mobilidade descomplicada aos edifícios e ajudam a atingir os mais altos níveis de eficiência energética e serviços associados a soluções inteligentes.

Prédios inteligentes na América Latina

A galeria de imagens apresenta uma seleção de novos edifícios com soluções de mobilidade, como alguns dos elevadores mais rápidos do Brasil e inovações em serviços como o MAX e o AGILE.

Muitos desses edifícios, como o Espacio Condesa, na Cidade do México, México; o SLS Puerto Madero em Buenos Aires, Argentina; ou o Pacific Center na Cidade do Panamá, Panamá, usam um projeto de uso misto, que ajuda a proporcionar melhor eficiência energética e sustentabilidade. O Pacific Center, espalhado por mais de 200.000 metros quadrados, vê um grande tráfego de pedestres que exige excelentes soluções de mobilidade internas. Os 41 elevadores, cada um com capacidade de 10 a 26 passageiros, atendem até 34 paradas e operam a 4 metros por segundo. Eles operarão com o AGILE para direcionar os passageiros para o próximo elevador disponível, melhorando a eficiência do tráfego e reduzindo o consumo de energia do edifício.

Balneário Camboriú é conhecida como a Dubai brasileira devido à sua grande concentração de edifícios altos:

  • O Infinity Coast, concluído em dezembro de 2019, tem quatro elevadores que levam os passageiros em apenas um minuto até o teto no 66º andar graças à sua velocidade de 4 metros por segundo. O MAX será instalado para garantir os mais altos níveis de tempo de atividade e serviço.
  • Outra novidade, o One Tower, será um dos edifícios mais altos da cidade e, com 280 metros, um dos edifícios residenciais mais altos da América Latina. Os cinco elevadores operam a 5 metros por segundo e são equipados com o Active Roller Guide, sistema de corrediças ativas igual ao do One World Trade Center, reduzindo as oscilações na cabine para o máximo conforto dos passageiros.

Em São Paulo, o Birmann 32 projetado pela Pei Partnership Architects se tornou um novo ícone da cidade. Uma vez concluído, ele terá os elevadores mais rápidos do Brasil, com 7 metros por segundo. Para garantir um fluxo contínuo pelos 27 elevadores, o edifício integrará os AGILE Destination Controls nas catracas com terminais de cartão e touch screen e também utilizará o AGILE Management Center para agendar o uso de elevadores. Os elevadores também utilizarão o MAX.

AGILE: Tornando os elevadores mais inteligentes

Tecnologia de última geração que melhora os elevadores tornando-os mais rápidos, inteligentes e flexíveis.

Saiba mais.
 
Balneário Camboriú

Balneário Camboriú

Image Credits

Airport Florianópolis 1, picture by Sergio Sona

Airport Florianópolis 2, picture by Julia Munhoz

Pacific Center Panama, picture by Divulgação

SLS Puerto Madero, picture by Divulgação

One Tower, picture by FG

Balneário Camboriú, video by Paulo Travels, taken from youtube.com