Technology

Alison Powers em Atlanta: uma engenheira no centro de um hub de inovação

Alison Powers sempre foi fascinada pelo funcionamento das coisas e por que elas são feitas como são. Essa paixão e sua vontade de investigar a levaram a estudar engenharia mecânica no Georgia Institute of Technology em Atlanta. Hoje, ela está em Atlanta novamente como Head of Research and Innovation na thyssenkrupp Elevator e se dando bem nessa cidade em evolução, com todas as suas startups e a motivação para apoiar novas ideias. O URBAN HUB fala com Alison sobre seu emprego, sobre encontrar modelos a seguir para mulheres engenheiras e por que Atlanta é um centro de inovação que dá tanto apoio.  
Technology
Usando menos recursos para uma mudança maior - O que faz o mundo evoluir? Tecnologia inovadora. E nas áreas de mobilidade, construção, energia e fabricação, são principalmente as inovações ecológicas que estão mudando a forma das pessoas interagirem com o meio ambiente e formá-lo.
1302 visualizações

Criado em 30/01/2020

O início de uma engenheira mecânica

Alison soube aonde ia desde cedo. “Desde que eu era criança, sempre fui fascinada com a pergunta de por que fazemos as coisas como fazemos. Estudei engenharia mecânica para entender as leis da física, mas ainda sou motivada pelo fator humano envolvido na criação de tecnologia – combinando as perguntas de por que e como fazemos as coisas.”

Após terminar a graduação na Georgia Tech (ou Georgia Institute of Technology), ela recebeu o diploma de mestre na Stanford University na Califórnia. Depois, ela voltou para Memphis, Tennessee, onde entrou para a thyssenkrupp Elevator em 2013 no Product Development Center.

Alison Powers

Alison Powers na thyssenkrupp Elevator em Atlanta.

Supervisionando uma equipe de mentes curiosas

Agora, como Head of Research and Innovation em Atlanta, Alison entende que o trabalho de sua equipe é fazer perguntas e investigar o que é possível e pode ser criado. Alguns projetos são pesquisa pura, por exemplo, sobre novos materiais para elevadores. Mas a maioria deles foca em explorar o que está ocorrendo em outras áreas e como isso pode ser aplicado na indústria dos elevadores.

A equipe de Alison representa várias áreas, incluindo desenvolvedores de software e engenheiros mecânicos e elétricos. Ela gerencia a coordenação e o desenvolvimento de projetos e é a supervisora técnica de tudo o que é desenvolvido no departamento. Suas responsabilidades abrangem dois locais: o Brasil e os EUA.

“Quando algo sai do Research Innovation Center (RIC), o próximo passo normalmente é o Product Development Center, onde exploramos a industrialização e a comercialização de ideias, discutindo os próximos passos e a entrega, pegando o que estamos desenvolvendo na nossa equipe e garantindo que isso se encaixará no centro de desenvolvimento agora ou no futuro.”

“Meu estilo de liderança é do tipo: não tenho todas as respostas. Vejo meu papel como ‘a conectora’. Posso ajudar minha equipe a se conectar com especialistas no negócio ou com a rede de institutos de pesquisa e líderes com os quais trabalhei, para ajudar cada pessoa a encontrar a informação valiosa que necessária para avançar suas ideias e projetos.”
Alison Powers, Head, Research and Innovation in Atlanta, thyssenkrupp Elevator

Treinando mais engenheiras!

Quando Alison estudou na Georgia Tech há dez anos, havia poucas mulheres. Ela diz: “Nunca vou esquecer da minha aula de termodinâmica. Na primeira vez que fiz um comentário, todos viraram em suas cadeiras e me olharam quando ouviram minha voz feminina”.

Agora, quando ela anda no campus, ela vê muito mais mulheres entre os estudantes. “Mudou da água para o vinho”, diz Alison. Ela acredita que isso ocorre porque as universidades estão fazendo um trabalho melhor para recrutar mulheres e dizer a elas que podem trabalhar nessa área e que há espaço para elas.

Você pode ser aquilo que consegue ver

Apesar de a imagem da engenharia mecânica estar mudando, Alison ainda acha importante aproveitar as oportunidades para criar exemplos para mulheres na engenharia.

Quando ela trabalhava em Memphis, Alison adorava organizar visitas escolares à torre de testes de elevadores em Horn Lake, Mississippi. Os alunos visitavam a torre usando capacete e óculos de segurança e viam como um elevador funciona. Eles também tinham a oportunidade de aprender e usar palavras como fricção, força e velocidade.

Alison acrescenta: “Tentava fazer combinações estratégicas para o tipo de alunos que recebíamos. Por exemplo: se a maioria dos alunos eram afro-americanos ou meninas, eu fazia questão de oferecer um grupo de guias diverso para que os estudantes conseguissem literalmente se ver nessa posição. Você pode ser aquilo que consegue ver.”

“Atlanta mudou demais desde que fiz minha graduação aqui. Mal posso acreditar no quanto tudo cresceu. Além do simples aumento em termos de volume, ficou claro para mim que Atlanta atrai um tipo de pessoa parecido comigo – que aprende por toda a vida e pergunta ‘por quê’. É uma coisa muito única em Atlanta.”
Alison Powers, Head, Research and Innovation in Atlanta, thyssenkrupp Elevator

 

Inovação que cresce com a cooperação

“A rede de inovação corporativa em Atlanta é enorme”, diz Alison. “Adoro me conectar com grupos externos com os quais posso continuar aprendendo”, completa. Alison está envolvida em vários grupos de foco para inovadores corporativos, com membros de outras empresas sediadas em Atlanta, como a Delta e a Home Depot.

Atlanta é um hub de networking perfeito. Sem nenhum ego ou competitividade, pesquisadores de outros setores que pensam de forma semelhante entendem os detalhes da inovação corporativa e são muito abertos para compartilhá-los, assim como para aprender uns com os outros e se ajudar mutuamente.

Novo hub de inovação dentro de Atlanta

A nova sede norte-americana da thyssenkrupp Elevator está sendo construída. Em breve, todas as instalações, incluindo a nova torre de testes, ficarão em um só lugar, permitindo que Alison tenha um acesso melhor a equipamentos de teste e a todos os departamentos. Esse “mini-hub” vai estimular um ciclo de feedback contínuo que apoiará a criatividade tecnológica e o desenvolvimento de produtos.

Alison acrescenta: “A nova sede prepara o caminho para melhorias e desenvolvimentos futuros em soluções como o deslocamento até o destino, nosso elevador MULTI e a construção para o lançamento do TWIN no edifício CODA (ligado ao Georgia Tech) em Atlanta.”

Para Alison, a thyssenkrupp Elevator está explorando formas de criar soluções que se conectam facilmente a todo o ecossistema de um edifício, e também formando parcerias com outros prestadores de serviços prediais para encontrar formas de criar uma experiência completa e totalmente agradável dentro dos prédios.

Fique ligado em Atlanta: da logística até a manutenção preditiva

Então como poderia ser o futuro da thyssenkrupp Elevator e do Research Innovation Center? Alison citou dois projetos particularmente interessantes:

  1. Indústria 4.0 e entendendo melhor como equipamentos funcionam em tempo real: a equipe está investigando o que virá em seguida para a solução de manutenção preditiva MAX e como mesmo a coleta de dados de baixo nível com sensores inteligentes, junto com uma análise de dados barata, pode agregar valor para o MAX.
  2. Mobilidade urbana: a equipe está trabalhando com um grupo de pesquisa da Georgia Tech que estuda logística para empresas de entrega. Eles criam modelos e simulam como otimizar a entrega de pacotes. “Estamos tentando descobrir como aplicar seu conhecimento em logística em uma rota de distribuição vertical, por assim dizer”.

Com o Research and Innovation Center da thyssenkrupp Elevator inserido no hub de novas ideias de Atlanta, é certo que muitos novos desenvolvimentos e soluções surgirão nos próximos anos.

Image Credits

Georgia Tech Campus, picture by James Lu, taken from pexels.com

Georgia Tech Sign, picture by Neesun Hsu, taken from flickr.com, Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.0 Generic

Georgia Tech Building, picture by Daderot, taken from commons.wikimedia.org, Creative Commons CC0 1.0 Universal