Urbanization

Urbanização – tendências, desafios, o caminho a seguir

Em 1950, a população urbana respondia por 30% da população mundial. Cem anos depois – em 2050 – estima-se que a população urbana seja de 70%. Para acompanhar essa onda acelerada de urbanização, será necessária uma nova visão para o planejamento e uso dos espaços urbanos.

Urbanization
Nossas cidades, nosso futuro - A urbanização, uma tendência que não mostra sinais de diminuição, mudará muito a forma como vivemos, trabalhamos e interagimos em nossas comunidades.
4358 visualizações

Criado em 15/11/2014

Pela primeira vez na história da humanidade, mais da metade da população mundial vive em cidades. A tendência atual em direção à urbanização irá criar um aumento impressionante de 2,8 bilhões de pessoas na população urbana em 2050. A maior parte desse crescimento será nos países de mercado emergente.

Movida pelo desejo por melhores condições de vida, educação, cuidados médicos e cultura, essa nova migração é uma das mudanças mais significativas já vistas na habitação humana. Um dos resultados disso é uma mudança nas fontes de prosperidade econômica, com 60% do PIB mundial gerado agora por aproximadamente 600 cidades.

Mas esse influxo massivo sobrecarrega bastante as infraestruturas urbanas existentes. Urbanistas, funcionários públicos, incorporadoras e construtoras estão sendo forçados a repensar a vida urbana e adaptarem-se a ela.

Tendências de crescimento urbano em todo o mundo

O crescimento urbano mais acentuado acontece na África, no Oriente Médio, na América Latina e na Ásia. Se analisarmos apenas conglomerados urbanos (áreas metropolitanas com mais de 1 milhão de habitantes), estima-se que em 2020 a China tenha 121 dessas áreas – seguida pela Índia, com 58.

Ao mesmo tempo, novas megacidades de 10 milhões de habitantes ou mais surgirão em economias emergentes, como Xangai, São Paulo, Istambul e Lagos.

O crescimento contínuo de grandes cidades também é visto em economias desenvolvidas. Em 2020, os EUA terão 46 conglomerados urbanos, alimentados por uma taxa de crescimento 30% maior que a do país como um todo. A tendência é parecida no resto da América do Norte e Europa.

Aglomerados urbanos em todo o mundo em 2014

Reinvenção e reestruturação urbana

Planejamento urbano eficiente e desenvolvimento da infraestrutura é crucial para a manutenção de uma qualidade de vida que sustente e dê suporte aos negócios, à indústria e ao comércio, sem mencionar na vida diária. Isso inclui serviços básicos de gerenciamento, como água, eletricidade, saneamento e mobilidade.
Isso inclui a criação de um espaço residencial e comercial. Por exemplo, estima-se que sejam necessárias 250 milhões de unidades habitacionais em 2030 nos 12 países que detêm 61% da população global. Esse alto crescimento da necessidade habitacional destaca cada vez mais as vantagens de prédios de altura média e grande como lugares para morar e trabalhar. Esses prédios ocupam menos espaço, enquanto permitem, também, controle de energia centralizado e inteligente.

O desenvolvimento de novas propriedades comerciais e residenciais apresenta uma grande oportunidade de melhorar a maneira como as cidades são organizadas, pois a tecnologia atual possibilita, mais do que nunca, prédios altos mais limpos, mais ecologicamente corretos e mais econômicos.

Gerenciando o fluxo

O gerenciamento eficiente do fluxo de pessoas que circulam em prédios ou entre eles não é um luxo, mas uma necessidade. Por exemplo, imagine o caos, o medo e os rendimentos perdidos, se todos os elevadores em uma grande cidade parassem de funcionar de repente.

Desenvolvimentos recentes de tecnologias avançadas de circulação de pessoas pelas empresas fabricantes de elevadores líderes mundiais incluem maior velocidade, segurança melhorada, uso de algoritmos sofisticados em gerenciamento de fluxos e uma diminuição acentuada do espaço ocupado pelos poços dos elevadores.

Dada a escala e a geografia do crescimento populacional geral, o aumento da população idosa e o número projetado de novas construções, há uma necessidade urgente por avanço nas tecnologias de mobilidade horizontal e vertical não veicular. O incentivo é claro: em 2016, estima-se que a demanda global por essas soluções de mobilidade crescerá mais de 5% anualmente, para 52 bilhões de euros. Empresas como a thyssenkrupp investem no desenvolvimento de novas tecnologias, nas pessoas e no aumento da sua atuação global para contribuir em tornar as cidades atuais e futuras os melhores lugares para se viver no nosso planeta.

Revendo as estruturas de prosperidade humana

A maior parte da população do planeta hoje vive e trabalha em cidades. Se o crescimento da economia está associado a comunidades mais bem conectadas e a práticas que respeitem o meio ambiente, a prosperidade humana poderia ser redefinida como a fórmula do futuro em que todos ganharão.

Nessa visão, todo o espaço urbano funciona interativamente com seus habitantes, empresas e setor público para aumentar o valor compartilhado das suas comunidades. Eles serão assistidos por novas tecnologias de conexão e por uma abordagem flexível e inclusiva do planejamento urbano.

Cidades de todo o mundo estão percebendo o que nosso planeta se tornou: um espaço urbano. Esse novo século metropolitano é apenas o começo de uma era nova e empolgante da existência humana.Se encararmos os desafios com sabedoria, a humanidade poderá muito bem estar no caminho para criar o ecossistema mais sustentável e inclusivo da história.