Urbanization

As cidades amigas dos idosos ajudam seus habitantes mais velhos a curtir os anos dourados

As cidades são lugares maravilhosos para os jovens, mas também são ótimas para se passar a vida toda. Na verdade, cada vez mais pessoas estão permanecendo indefinidamente nas cidades e aproveitando a aposentadoria em uma atmosfera vibrante. Como resultado, as cidades estão levando a sério o respeito ao idoso. Elas precisam oferecer aos residentes boas perspectivas que se estendam até os anos dourados.

No mundo todo, o número de pessoas com mais de 60 anos dobrará de 600 milhões para 1,2 bilhão em 2025. E com mais da metade da população mundial vivendo em cidades, é essencial que os centros urbanos cuidem de seus idosos se eles quiserem continuar sendo locais atraentes para se viver. Ao passo que a moradia e os cuidados com saúde são importantes, é imprescindível que os mais velhos continuem atuando ativamente em suas comunidades.

Urbanization
Nossas cidades, nosso futuro - A urbanização, uma tendência que não mostra sinais de diminuição, mudará muito a forma como vivemos, trabalhamos e interagimos em nossas comunidades.
1074 visualizações

Criado em 17/11/2016

Uma preocupação mundial

Com sua Política de Envelhecimento Ativo, a Organização Mundial de Saúde (OMS) está “melhorando as oportunidades de saúde, participação e segurança para aumentar a qualidade de vida dos idosos.” De acordo com a OMS, muitos idosos urbanos estão vivendo em espaços que não foram construídos para suas necessidades únicas. Isso acaba limitando sua mobilidade e sua capacidade de participar de suas comunidades.

A iniciativa engloba fatores determinantes de independência, participação, dignidade, cuidados e autorrealização. A OMS está se concentrando nas cidades, pois elas têm os recursos para criar ambientes que respeitem a idade e podem servir de exemplo para outras comunidades de suas regiões.

Como as comunidades adaptadas aos idosos garantem o envelhecimento ativo

Fonte: OMS, folheto do projeto Cidades Amigas dos Idosos 

  • Participação 
    • Promover imagens positivas de pessoas mais velhas
    • Informações acessíveis e úteis
    • Transporte público e privado de fácil acesso
    • Oportunidades de inclusão para engajamento cívico, cultural, educacional e voluntário
    • Espaços sem barreiras e adaptação de áreas internas e externas
  • Saúde
    • Locais e programas voltados à recreação e socialização ativas
    • Atividades, programas e informações para promover a saúde e o bem-estar social e espiritual
    • Assistência e suporte social
    • Serviços de saúde adequados e acessíveis
    • Boa qualidade de ar/água
  • Segurança e independência
    • Acomodações adequadas, acessíveis e baratas
    • Produtos e estruturas acessíveis de segurança doméstica
    • Ruas e prédios sem perigos
    • Estradas seguras e sinalização para motoristas e pedestres
    • Transporte público seguro, acessível e barato
    • Serviços de assistência para tarefas domésticas e manutenção de residências
    • Suporte a cuidadores
    • Lojas, bancos e serviços profissionais acessíveis
    • Vizinhanças acolhedoras
    • Proteção contra abusos e crimes
    • Informações públicas e treinamento adequado
    • Planos de emergência e recuperação após desastres
    • Oportunidades de empregos acessíveis e adequadas
    • Condições de trabalho flexíveis

Conheça os conceitos básicos das comunidades amigas dos idosos neste vídeo da fundação Tufts Health Plan.

 
Um exemplo de mau planejamento: falta de conectividade

Conectividade sem barreiras para inclusão social

A condição essencial para a inclusão social é a conectividade sem barreiras. Em algum momento na vida de muitas pessoas, as escadas se tornam um obstáculo intransponível. Quanto isso ocorre, até mesmo as escadas rolantes podem ser problemáticas.

Por isso é importante integrar soluções que auxiliem a vida das pessoas sem criar bloqueios com degraus ou meio-fio. Embora as rampas sejam uma solução bastante óbvia e simples, muitas vezes elas são esquecidas nos espaços públicos em todo o mundo. Os elevadores, por outro lado, normalmente estão presentes em todos os edifícios comerciais e residenciais novos, mas aqui a questão muitas vezes é o número insuficiente de elevadores.

A abordagem sem barreiras ajuda não só os idosos, mas também pessoas com a mobilidade limitada, pais com carrinhos de bebê e serviços de entrega de encomendas. E não podemos esquecer as outras opções, como elevadores de cadeiras e elevadores plataforma, que ajudam quando é inviável instalar rampas ou elevadores.

Transporte público

Os sistemas de transporte público devem oferecer muitas opções, como trens, metrôs, bondes e ônibus. Todos eles podem ser adaptados oferecendo assentos para idosos e pessoas com mobilidade limitada.

É essencial que estações de metrô sejam equipadas com uma quantidade suficiente de elevadores, não só para os idosos, mas também para pessoas que deveriam usar as escadas rolantes (porque muitos idosos não exercem seu direito de ir para o início da fila em um elevador). O elevador MULTI  seria uma solução ideal para dar às pessoas o poder que elas precisam nas estações subterrâneas.

Opções de descanso: essenciais para a mobilidade dos idosos

Os bancos impulsionam a mobilidade?

Poucas pessoas sabem que os bancos públicos aumentam a mobilidade da população mais velha. Os idosos são perfeitamente capazes de percorrer longas distâncias, mas eles precisam ter opções de descanso no meio do caminho. Se eles souberem que um determinado parque tem bancos à vontade, eles provavelmente passarão mais tempo fora de casa.

Estudos de casos de respeito aos idosos

Agradável para os idosos = agradável para todos

As iniciativas de adaptação às necessidades dos idosos geram benefícios para pessoas de todas as idades. O ar limpo e os aspectos ambientais saudáveis da iniciativa de Cidades Amigas dos Idosos da OMS trarão benefícios para todos, principalmente crianças e pessoas com problemas respiratórios. Os aspectos de segurança ajudam a criar ambientes adequados para famílias. E, por fim, a criação de cidades sem barreiras ajudarão a melhorar a mobilidade de muitos cidadãos.

Ou seja, as cidades que buscam estar de acordo com as diretrizes da OMS para idosos serão boas para todo mundo.

Quando os idosos ficam felizes, todos ficam felizes.