Urbanization

Jess Zimbabwe e o Rose Center: formar líderes urbanos melhores gera cidades melhores

Cidade são lugares incríveis, mas elas também estão cheias de coisas ruins que ninguém que quer. Então, como melhorá-las? Os moradores podem ter certos interesses totalmente diferentes daqueles das construtoras. Os governos têm tempo limitado para tentar equilibrar muitas exigências concorrentes. Isso pode gerar um “cabo de guerra” brutal e, no pior dos casos, ninguém vence. Mas o desenvolvimento urbano não precisa ser um jogo de soma-zero. É aí que entram pessoas como Jess Zimbabwe, que tentam assegurar que as necessidades básicas de todos sejam satisfeitas para o bem geral.
Urbanization
Nossas cidades, nosso futuro - A urbanização, uma tendência que não mostra sinais de diminuição, mudará muito a forma como vivemos, trabalhamos e interagimos em nossas comunidades.
180 visualizações

Criado em 29/11/2018

Crescendo em uma cidade em declínio

Zimbabwe cresceu em Flint, Michigan. A cidade, que já foi um motor da indústria automotiva dos EUA, sofreu um longo declínio após a desindustrialização, perdendo metade de sua população. O primeiro documentário de Michael Moore, nativo de Flint, foi sobre a cidade – o premiado “Roger e Eu.”

Durante o tempo que Zimbabwe passou em Flint, ela se interessou em “como as pessoas se unem para formar seu ambiente construído”. Depois, ela se tornou arquiteta, mas achou que “a prática tradicional de arquitetura, na qual os arquitetos são contratados por um cliente que já tomou muitas decisões sobre o que será construído”, não satisfez totalmente a sua curiosidade sobre como criar cidades melhores.

A política das pessoas em comunidade

Para unir mais seu interesse em prédios e pessoas, Zimbabwe também estudou planejamento urbano. Depois, “em parte devido a esses interesses relacionados, me interessei pela política que define o que é construído e o que não é”, diz.

Isso não foi só por curiosidade acadêmica. Jess Zimbabwe cresceu em uma cidade onde claros exemplos “do que era justo ou injusto para as pessoas” estavam sempre à mostra. “Fiquei interessada nessa questão e em como podíamos fazer construções melhores uns para os outros”, explica.

Crowded Istiklal street in Taxim, Istanbul
“As cidades são importantíssimas; elas são a coisa mais sustentável que inventamos como espécie. Quando se olha para a quantidade de terreno, energia e água que as pessoas usam, a vida urbana consome menos recursos do que as outras alternativas.
Jess Zimbabwe

Criando um espaço de aprendizado dedicado para líderes cívicos

O interesse de Zimbabwe em construir cidades melhores acabou levando-a até Washington, DC, onde ela começou a trabalhar para a instituição sem fins lucrativos Urban Land Institute (ULI) para desenvolver um novo programa, o Rose Center for Public Leadership.

O nome do centro se deve ao fundador Daniel Rose, um construtor de sucesso que achou que a complexidade do uso de terreno urbano e do planejamento de construções dificultava a colaboração entre o setor público e privado. Sua ideia era “criar espaço para relações mais amigáveis e conversas reais sobre um futuro compartilhado melhor para cidades”.

The Rose Center for Public Leadership

Em 2014, a família Rose e o ULI formaram uma parceria estratégica com a National League of Cities (NLC) para usar sua sólida competência em governos locais e liderança nos programas do Rose Center.

O Rose Center busca “aumentar a curva de aprendizado entre comunidades, digerindo o que está acontecendo (no campo) e ajudando os líderes de cidades a reservar tempo do seu cotidiano de trabalho para aprender melhores práticas, o que parece estar funcionando e o que outras cidades estão tentando fazer”.

Zimbabwe afirma que “há uma falta de oportunidade para as cidades aprenderem umas com as outras, e administrar uma cidade é muito difícil. Como líder de uma cidade, você geralmente tem intervalos de oportunidade de 10 a 20 minutos para lidar com algo que está sobre sua mesa, e seu dia é uma costura de muitos desses intervalos”.

“O motivo pelo qual temos cidades é porque somos tão fascinados uns pelos outros. E, por mais profundos e persistentes que os problemas das cidades possam ser às vezes, sempre me inspiro no potencial de podermos estar todos juntos de maneira mais sustentável.”
Jess Zimbabwe

Fortalecendo relações e derrubando barreiras

Promover melhores lideranças para um melhor uso do terreno urbano é o núcleo do trabalho do Rose Center. Seu programa estandarte de fellowship une líderes do setor público de quatro cidades para “um programa de um ano de desenvolvimento de liderança e aprendizado com especialistas do setor privado”.

“Unimos as pessoas e oferecemos assistência técnica sobre questões desafiadoras de uso de terrenos. Mas o mais importante é que elas passam um ano trabalhando com um grupo de três outras cidades para discutir desafios de uso de terrenos e formar relações amigáveis que continuarão sendo um recurso no futuro.”

O programa também ajuda líderes de cidades a fazer conexões melhores com o setor privado. “Simplesmente não funciona quando líderes de cidades agem como se construtores do setor privado fossem pessoas gananciosas que só querem lucros, porque na verdade são eles que farão as construções das quais você precisa na sua comunidade. É realmente essencial ver isso como uma relação mútua de parceria”, diz Zimbabwe.

 
Jess Zimbabwe

O interesse de Zimbabwe em ajudar políticos a entenderem os benefícios de um bom design já existia antes das suas posições atuais. Neste vídeo curto, ela descreve como o poder de um bom design urbano pode ajudar todos que vivem em cidades, de cidadãos normais a líderes políticos.

O poder do design urbano para o futuro das cidades

Para Zimbabwe, o início do desenvolvimento de cidades melhores no futuro é a construção de uma liderança melhor hoje. Compartilhar mais sobre o que outras cidades estão fazendo e introduzir líderes urbanos a especialistas e colegas de profissão é parte do que ela e o Rose Center oferecem para as cidades.

Também é importante estabelecer uma visão clara. “Há muito espaço no setor público para tomar a liderança no estabelecimento de uma visão para um bairro”, diz Zimbabwe. Isso facilita um trabalho mais eficiente com construtoras do setor privado para realizar essa visão. Mas para estabelecer tal visão, é preciso ter um engajamento público.

“Os cidadãos têm um papel essencial em participar do design de suas comunidades. Eles têm muito mais conhecimento útil sobre formar seu ambiente do que a maioria das pessoas creem. O papel real dos profissionais é descobrir como equilibrar as informações técnicas com o recebimento de informações da comunidade e tentar encontrar uma solução que funciona para todos – essa é a grande meta final”.

Trabalhar juntos é nossa melhor esperança

Zimbabwe sabe que as cidades estão enfrentando muitos desafios, incluindo “o controle de emissões de gases estufa, moradias a preço inacessível, transporte ineficaz, desigualdade e desalojamentos”. Mas as cidades também são sua inspiração: “Se conseguirmos trabalhar para melhorar algum desses problemas, permitiremos que mais pessoas tenham mais benefícios da vida urbana, e isso é melhor para nós como espécie e para o nosso planeta”, diz.

Zimbabwe claramente crê no futuro das cidades e está trabalhando com afinco e criatividade para tornar as cidades os melhores lugares para trabalhar e viver.
Seu trabalho com o Rose Center, a National League of Cities e o Urban Land Institute complementa e amplifica o trabalho de inúmeras outras organizações do setor público e privado em todo o mundo – incluindo a thyssenkrupp Elevator.

Image Credits:

Toronto City Scene, photo by Matt Quinn, taken from unsplash.com

New York City fence, photo by Matteo Catanese, taken from unsplash.com

Grand Central Station, photo by Anton, taken from unsplash.com

Los Angeles City Scene, photo by Owen CL, taken from unsplash.com