Urban Lifestyle

O elevador: como uma pequena plataforma móvel se tornou um grande símbolo do mundo moderno

Há muito tempo, cidades eram muito incomuns; hoje, elas são a regra. As cidades também eram muito pequenas. Agora elas vêm em todos os tamanhos, chegando até o GGG! Quando pensamos no mundo de hoje, pensamos em cidades grandes; e quando pensamos em cidades modernas, pensamos em prédios altos. Mas só foi possível construir e usar prédios altos após o desenvolvimento de ferramentas importantes. Uma delas se destaca não só por resolver um desafio prático: ela também fornece o veículo ideal para unir e simbolizar algumas necessidades humanas muito importantes. Essa é a história real do elevador.
Urban Lifestyle
An urban lifestyle for the future -  By first recognizing the impact of our city lifestyles, we can pave the path for sustainable economic development and a brighter, greener future.
3525 visualizações

Criado em 16/08/2018

Viagem no tapete mágico

A necessidade humana mais óbvia satisfeita pelo elevador é a conexão ou mobilidade. Invenções anteriores da Revolução Industrial haviam tornado o movimento de coisas ou pessoas para cima e para baixo mais viável, mas os elevadores não foram considerados seguros para uso cotidiano até a Feira Mundial do Crystal Palace na cidade de Nova York em 1853-54.

Foi lá que Elisha Graves Otis apresentou seu freio de segurança de forma dramática. Seu elevador de plataforma subia a uma altura de 10 metros e, depois, seu assistente cortava o cabo do elevador. Quando a plataforma não caía ao chão, ele fazia uma reverência para o público impressionado e anunciava: “Tudo seguro”!

Agora que a segurança estava garantida, era possível iniciar uma nova era para prédios, cidades e a civilização. O primeiro elevador de passageiros foi instalado em um prédio de cinco andares em Nova York três anos depois: a jornada do elevador tinha começado. Hoje, os elevadores são o meio de transporte mecanizado mais seguro do mundo.

Organizador da comunidade

Os elevadores de repente deram às pessoas uma oportunidade melhor de se movimentar livremente para onde eles queriam. Não é nenhuma surpresa que, em boa parte do tempo, elas queriam ir para casa, fazer compras, para o trabalho, para boates, restaurantes ou eventos. A conectividade conecta lugares – mas o mais importante é que ela conecta pessoas.

A formação de comunidades e a interação social rapidamente se tornaram um elemento-chave na jornada do elevador. Ele possibilitou a criação de novos lugares para que as pessoas se encontrem e passem tempo juntas. Os prédios ficaram mais altos, criando mais espaço utilizável – a partir do nada!

Veículo das maravilhas

Mas o elevador carrega mais “passageiros” do que isso. Ele também leva a curiosidade, porque a cada nível da subida, o elevador revela uma nova perspectiva. Isso resulta em novas perguntas, por exemplo, como aumentar a capacidade ou a eficiência energética ou como ser mais econômico ou personalizado.

No elevador, a curiosidade sempre acompanha a jornada. Em 1979, por exemplo, a curiosidade imaginou se a tecnologia então disruptiva de microprocessadores poderia ser aplicada aos elevadores. Isso foi feito e, de repente, os operadores se tornaram desnecessários. Agora qualquer um podia operar um elevador.

Em 1996, outras perguntas resultaram em medidas que melhoraram os elevadores agrupando automaticamente passageiros antecipadamente conforme seu destino, o que reduziu os tempos de espera e melhorou a experiência do elevador. Tudo isso foi um resultado da curiosidade.

Mãe das invenções

Então não era nada estranho colocar duas cabines independentes em um poço, mas isso fez história para os elevadores. O TWIN, primeiro sistema de elevadores multicarros moderno, foi lançado em 2002. A solução ampliou a capacidade de cada poço em 40%!

O elevador paternoster também usava várias cabines. As cabines abertas da invenção apresentada em 1868 circulavam lentamente em um loop contínuo. Os passageiros podiam simplesmente entrar e sair como desejado. Foi criativo, mas a maioria das pessoas gostaria de ter portas nos seus elevadores!

Ao adaptar esse conceito de loop com a moderna tecnologia maglev, o sistema MULTI possibilitou operar com sucesso várias cabines para cima e para baixo – até mesmo horizontalmente. Os efeitos do MULTI sem cabos, apresentado em 2017, sobre o design arquitetônico estão só começando. Um elevador sempre cria espaço para a criatividade.

Inovações urbanas em uma caixa

De forma semelhante a uma cidade, o elevador une coisas diferentes em um espaço definido. Os vários elementos se influenciam e reforçam mutuamente, gerando algo totalmente novo. Nesse caso, conectividade, comunidade, curiosidade e criatividade interagem entre si com efeitos impressionantes e contínuos.

Um desses resultados é uma maior eficiência energética. Por exemplo, uma eficiência líquida zero significa que um elevador gera energia suficiente para suprir aquela que usa. E o que é ainda mais impressionante: elevadores com eficiência líquida positiva produzem mais energia que consomem!

Outro exemplo de como o elevador transporta desejos humanos a novas alturas é a introdução do elemento digital. A primeira solução preditiva em tempo real baseada na nuvem foi lançada em 2015. O MAX usa tecnologia IoT para reduzir o tempo de parada e os atrasos de elevadores.

O desenvolvimento do elevador como meio de transporte confiável abriu os céus para a evolução urbana. O sistema MULTI agora permite também conexões horizontais entre arranha-céus e apresenta a próxima fronteira no design de cidades.

Cabe mais um – o passageiro mais importante

Cabe mais um passageiro? É claro! O último e mais importante passageiro na jornada do elevador é o sonho. Em sua existência, o elevador evoluiu de uma pequena plataforma ou caixa estranha a uma cabine viva movida pela energia da imaginação humana.

Por que os elevadores são importantes? Porque eles elevam a civilização humana. Eles atraem e carregam os sonhos de hoje a um destino mais alto – as cidades do futuro que ainda construiremos. Em outras palavras: os elevadores elevam a história. Todos somos parte da história dos elevadores. Entrem – essa jornada nunca acaba!

Image Credits

Elisha Otis Elevator, taken from wikipedia.de