Technology

Sinergias inteligentes: melhorando a conexão entre casas e cidades inteligentes

Estranho, porém verdade: até hoje houve pouca conexão física, digital ou teórica entre as casas inteligentes e as cidades inteligentes. Mas isso está mudando. Os governos, empresas e cidadãos estão cada vez mais vendo as casas inteligentes como um elo perdido óbvio na criação, expansão e melhoria das cidades inteligentes.
Technology
Usando menos recursos para uma mudança maior - O que faz o mundo evoluir? Tecnologia inovadora. E nas áreas de mobilidade, construção, energia e fabricação, são principalmente as inovações ecológicas que estão mudando a forma das pessoas interagirem com o meio ambiente e formá-lo.
1112 visualizações

Criado em 08/02/2019

Casas inteligentes – benefícios para as pessoas

Os dispositivos das casas inteligentes prometem muitos benefícios, e a quantidade e a qualidade desses dispositivos estão crescendo. Com recursos integrados cada vez mais disponíveis nos aparelhos e residências, também há mais formas do que nunca de instalar recursos inteligentes em uma infraestrutura existente de casas mais antigas.

É sensato transformar seu lar em uma casa inteligente. Desde aspiradores de pó robóticos que fazem seu trabalho automaticamente enquanto você está fora até as geladeiras que gerenciam sua lista de compras, as casas inteligentes oferecem mais simplicidade, segurança e tranquilidade. E os medidores inteligentes ajudam a controlar os custos de energia e água.

Mas enquanto as casas inteligentes conectadas à IoT podem estar em contato com fabricantes de produtos e fornecedores de serviços, eles ainda têm que oferecer um serviço totalmente operacional a uma comunidade ainda maior.

 
Smart homes

As casas verdadeiramente inteligentes ainda não são comuns. Mas assista a esse vídeo e você vai querer fazer o upgrade agora. Ele mostra uma casa com mais de 150 funções inteligentes diferentes em funcionamento, simplificando um pouco a vida. Seu lar nunca mais será o mesmo.

Cidades inteligentes – benefícios para a comunidade

Ao mesmo tempo, as cidades inteligentes evoluíram. Originalmente, elas forneciam principalmente serviços à comunidade, e até mesmo eles ficavam muitas vezes escondidos, como o monitoramento da qualidade do ar. Ou o trânsito: os sensores instalados em espaços públicos, como postes de iluminação, transmitem informações a sistemas de análise inteligentes que rastreiam e classificam o Big Data em tempo real. Com esse tipo de visão geral, os planejadores e seus programas podem ajustar fluxos para eliminar pontos de congestionamento.

Mais recentemente, algumas cidades inteligentes começaram a fortalecer a iniciativa individual e a participação democrática em suas cidades. Cidades como San Francisco, Toronto e Tel Aviv lançaram plataformas online que criaram uma comunidade maior (e melhores serviços) ao conectar digitalmente os cidadãos entre si e ao processo de tomada de decisão municipal.

Cidadãos inteligentes – conectando as pessoas à comunidade

Este desenvolvimento, às vezes chamado de Smart City 3.0, agora também está produzindo uma nova visão das casas inteligentes. Assim como as cidades inteligentes expandiram seu alcance de serviços para a comunidade para incluir serviços para as pessoas, as casas inteligentes agora estão evoluindo, trazendo mais serviços para a comunidade.

O objetivo é criar cidadãos inteligentes que querem aumentar os benefícios da tecnologia para todos, por exemplo, maior sustentabilidade e eficiência energética, melhor distribuição de energia, saúde pública e segurança, mobilidade e acessibilidade. E isso não é um problema para os governos e empresas, pois esta tendência aumenta o reconhecimento e adoção da tecnologia inteligente.

O URBAN HUB vai conferir um caso interessante no próximo artigo. O megaprojeto The Hudson Yards na cidade de Nova York está construindo casas e escritórios inteligentes em uma região inteligente nova, totalmente interligada.

 

Inteligência chegando em Louisville, Kentucky

Louisville fez algo muito inteligente em 2003. A cidade se fundiu com o condado de Jefferson. Isso simplificou o governo local e o fornecimento de serviços para 92 municípios da “Grande Louisville”. Recentemente, a cidade se tornou uma colaboradora de vanguarda para integrar as casas e as cidades inteligentes.

Embora ainda esteja em uma fase inicial, o projeto usa IFTTT, que permite que diferentes apps e dispositivos troquem dados. Os programadores voluntários e os nerds de dados locais desenvolvem então a integração entre as redes das cidades e os dispositivos domésticos. O Alexa, da Amazon, usa isso para melhor conectar os moradores com a casa e a comunidade.

Vida inteligente – multiplicando os benefícios para todos

Os resultados da vida inteligente integrada serão profundos. O aumento do vínculo digital entre as casas inteligentes e a rede urbana inteligente ao seu redor permitirá que a cidade monitore melhor e atenda as necessidades dos cidadãos de melhor acesso aos serviços da cidade a partir de suas casas.

Aqui mostramos alguns exemplos de como as casas inteligentes já estão se integrando de forma benéfica às cidades inteligentes (e empresas inteligentes):

  • Sensores e alertas do ambiente próximo: enquanto algumas condições ambientais (qualidade do ar externo, frio em excesso) podem ser sanadas internamente pelas casas inteligentes (fechando janelas, aumentando o aquecimento), a fumaça, o fogo e os vazamentos de gás ou produtos químicos tóxicos no ar também podem acionar alertas automaticamente junto aos respectivos serviços de emergência.
  • • Alertas de perigo iminente: sistemas de alerta precoce interligados podem rastrear e avisar as pessoas em suas casas sobre terremotos, tsunamis, tempestades, enchentes iminentes, além de fornecer informações ativamente sobre o que fazer e para onde ir.
  • Alertas informativos: os moradores podem agora usar os assistentes inteligentes populares para alertas locais. Em Louisville, Kentucky, por exemplo, os dispositivos com Alexa podem transmitir notícias diárias diretamente do prefeito, ou ainda informar aos moradores sobre a próxima data de coleta de lixo no bairro.
  • Saúde das pessoas: sensores de movimento ou acústicos ou sistemas operados por voz, assim como monitores de batimento cardíaco da casa inteligente podem alertar as autoridades sobre uma emergência médica e solicitar um médico ou ambulância. Cada vez mais, quando uma nova tecnologia para casas é instalada, como um elevador de escadas, ela vem com um host de recursos de tecnologia inteligente, como a conexão de telefone integrada usando a tecnologia DECT.
  • Sensores de manutenção preditiva: usados em equipamentos como fornos e linhas de água para sistemas de resíduos, eles evitam a interrupção de serviços vitais. Os prédios comerciais já usam sistemas inteligentes como o MAX para garantir o menor tempo de parada e interrupção possível do fluxo das pessoas.

O início de algo novo

Conforme o movimento para integrar as casas inteligentes às cidades inteligentes ganha velocidade, a simplificação de tarefas repetitivas em funções domésticas de máquinas automatizadas crescerá com camadas adicionais de sofisticação, que agregam valor tanto para as pessoas quanto para a comunidade.

Junto com novos apps urbanos e tecnologias usáveis que permitem que todos nós sejamos virtuais, os sensores móveis, que conectam melhor as casas inteligentes às cidades inteligentes, resultarão em uma melhor distribuição dos benefícios da tecnologia e em uma qualidade de vida melhor para todos.

Image Credits

Home Automation, photo by Mike MacKenzie, taken from flickr.com