Sustainability

Menos mal, mais bem — inovando uma economia circular com Cradle to Cradle

O design Cradle to Cradle (C2C) é uma abordagem reveladora para a eliminação de resíduos e a criação de uma economia circular. Desenvolvido por William McDonough e Dr. Michael Braungart, o foco principal da iniciativa é criar produtos que são 100% benéficos para as pessoas e o meio ambiente — que realmente melhorem a qualidade de vida, e não apenas prejudiquem menos.

Muitas empresas já aderiram ao conceito, demonstrando que entidades com fins lucrativos podem implantá-lo com sucesso. O URBAN HUB entrevistou Bridgett Luther, ex-presidente e cofundadora do Cradle to Cradle Products Innovation Institute, que falou sobre como a criação de produtos pode ajudar a melhorar o mundo.

Sustainability
Garantindo um futuro ecológico - O desenvolvimento ambiental sustentável usa conceitos de poucos resíduos, baixo consumo e a migração para recursos ecológicos e ambientalmente sustentáveis, como energia solar e eólica ou materiais que podem constantemente passar por upcycling.
1711 visualizações

Criado em 03/12/2015

Distanciando-se do túmulo

A maioria dos produtos que usamos hoje segue uma mentalidade “do berço ao túmulo”. Nós os usamos e os descartamos logo em seguida. No entanto, o Cradle to Cradle (“do berço ao berço” em português) sugere que o fim do ciclo de uso de um produto será seguido pelo início do ciclo de outro produto, infinitamente.
O C2C se inicia na fase da concepção: os projetistas devem considerar como cada peça de um produto pode reter valor no final do seu ciclo de uso atual. Mas não é só isso: o produto também deve ter algum tipo de impacto positivo. Enquanto produtos tradicionais são criados para causar menos danos (mas não para evitá-los completamente), a mentalidade C2C pergunta “Como este produto pode fazer o bem?”
Inovações reais que seguem a abordagem C2C incluem edifícios com tetos que podem ser usados para agricultura, tapetes que filtram partículas do ar e reboco de parede que absorve toxinas suspensas. Por que não usar um cobertor 100% reciclado cujos lucros são destinados integralmente à caridade? Sim, esses produtos realmente existem.

Bridgett Luther
“Tudo no Cradle to Cradle gira em torno da criação — de forma que tudo que façamos tenha um impacto positivo. Imagine se tudo o que vemos fosse bom para as pessoas e para o planeta, e que toda vez que uma empresa fizesse esses produtos, ela estivesse criando o bem.”

Bridgett Luther

Ex-presidente e cofundadora do Cradle to Cradle Products Innovation Institute

Você sabia?

A maior parte da reciclagem pressupõe uma perda de qualidade. Toda vez que materiais são reciclados, eles são misturados com metais ou plásticos de nível inferior, resultando em um material pior. Isso se repete até que reste apenas lixo. Os fabricantes precisam criar produtos com o objetivo de garantir que, ao término do ciclo de uso atual, 100% dos componentes do produto poderão ser devolvidos em segurança para a terra ou poderão voltar para a indústria na forma de valiosas matérias primas.

C2C e o seu contínuo rastro positivo

Em 2002, o arquiteto americano William McDonough e o químico alemão Michael Braungart deram início a essa mentalidade com o seu livro pioneiro “Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things”. Desde então, ambos os autores se tornaram renomados palestrantes e fundaram consultorias que prestam serviços a empresas sobre design C2C. Em 2010, eles fundaram a organização sem fins lucrativos “Cradle to Cradle Products Innovation Institute” junto com Bridgett Luther.

O Cradle to Cradle Products Innovation Institute dá às empresas a chance de mostrar o seu desempenho em C2C. A ex-presidente Bridgett Luther falou a respeito: “O instituto treina firmas de consultoria que auxiliam empresas no processo de certificação. Então, além das firmas de Bill (McDonough ) e Michael (Braungart ), é possível trabalhar também com Tebodin, EPEA Switzerland, Eco-Age e várias outras.”

Essas firmas ajudam as empresas em todo o processo C2C. Ao terminar, enviam um relatório ao instituto, seguindo-se uma auditoria. Se aprovadas, recebem o selo C2C e são incluídas no cadastro de produtos..

C2C Products Innovation Institute Certifications

Crescimento pode ser bom

Os fabricantes precisam ir além da simples redução do rastro de carbono e do mero uso eficiente dos recursos. Isso porque, se eles não se concentrarem em aumentar o seu impacto positivo, o saldo de seus efeitos sempre será negativo. A “ecoeficiência” (menos mal) deve ser complementada por “ecoeficácia” (mais bem). Afinal, qual é a vantagem de ter uma relação que é apenas “sustentável”?

O C2C pode ser considerado mais um selo de qualidade do que uma certificação tradicional. Luther explica: “Frequentemente, quando empresas começam a pensar em uma abordagem Cradle to Cradle, elas fazem isso em muitas áreas. Elas consideram como os seus produtos, processos e sistemas podem fazer o bem, em vez de simplesmente reduzir o mal.”

“Mais bem” em termos para leigos

Se o nosso foco é reduzir o consumo de combustível fóssil, nunca faremos uma diferença positiva. Por outro lado, se encontramos uma forma de usar energias 100% renováveis, tais como a eólica e a solar, podemos deixar as luzes ligadas o quanto quisermos e ainda assim estaremos fazendo uma contribuição positiva para a sociedade.

Cradle-to-Cradle circular economy upcycling process
  • 1) Design visa desmontagem e recuperação após ciclo de uso

    As coisas que compramos devem ser projetadas para que seus componentes possam ser separados com facilidade. Algumas peças são biodegradáveis e podem ser devolvidas à terra com segurança, enquanto 100% das peças restantes voltarão para a indústria para serem reutilizadas em novos produtos.

  • 2) Uso de energias renováveis

    Produtos produzidos e operados com 100% de energia renovável não precisam se preocupar com o consumo porque a eletricidade é sempre limpa.

  • 3) Manter e aprimorar a qualidade da água

    A água é um direito humano básico e, sempre que a usamos, estamos apenas tomando-a emprestada da terra. A indústria deve respeitar o direito das pessoas à água limpa, e devem manter uma relação saudável com o meio-ambiente. A água deve ser devolvida em condições de pureza iguais ou melhores do que as iniciais.

  • 4) Consideração à equidade social e à dignidade humana

    Fabricação, construção e todos os tipos de operações devem ser projetados em honra a todas as pessoas e sistemas naturais envolvidos pela criação, uso, descarte ou reutilização de um produto.

  • 5) Busca por uma melhoria contínua e ambiciosa

    Embora a certificação através do Cradle to Cradle Products Innovation Institute seja uma iniciativa excelente e honrável, as empresas devem desenvolver uma mentalidade C2C que seja buscada em todos os empreendimentos, para que possam deixar um rastro organizacional positivo que se espalhe em direções inesperadas.

  • 6) Materiais seguros para usar e reusar

    Materiais são definidos como nutrientes biológicos ou técnicos. Nutrientes técnicos são materiais que não podem ser decompostos no ambiente natural, mas ainda assim são essenciais para a indústria. Eles são mantidos dentro de um ciclo fechado, separado dos nutrientes biológicos, que podem retornar com segurança à terra.

Definindo tendências em C2C

Quando empresas optam por uma certificação C2C, elas devem esperar por um processo muito exigente, mas recompensador. A thyssenkrupp Elevator Americas é uma das poucas empresas que receberam um Certificado de Saúde Material do instituto.

Luther elogiou o bom exemplo: “A empresa recebeu um certificado para o seu óleo hidráulico — isso é que é ir além do esperado! Esta certificação não dá a ela uma vantagem em termos de LEED. Ela fez isso porque pensou que realmente ilustraria a sua história de maneira singular. E estou realmente impressionada, porque não foi fácil.”

thyssenkrupp C2C material health certification

Muitos definidores de tendências estão contribuindo com os seus produtos. A Highland Craftsmen, por exemplo, vende revestimentos de paredes feitos com casca de árvore recuperada. A Method faz produtos de limpeza doméstica e sabonetes líquidos com certificado ouro C2C, enquanto a Aveda se orgulha de uma série completa de produtos de higiene pessoal com certificado ouro.

“O que a thyssenkrupp Elevator fez é incrível. A empresa quis mostrar para todos que realmente investiu em um mundo melhor. E esta pequena marca é uma maneira de demonstrar o seu perfil de sustentabilidade através de um pequeno exemplo.”

Bridgett Luther

Ex-presidente e cofundadora do Cradle to Cradle Products Innovation Institute

A solução para os nossos problemas ambientais atuais

O C2C indica o caminho para se distanciar da mentalidade de “pegar-usar-jogar fora” que está acabando com o planeta. Em vez de tapar os buracos do sistema com uma reciclagem pouco eficiente e as chamadas soluções “sustentáveis”, precisamos de uma abordagem com zero resíduo através do conceito C2C e uma economia verdadeiramente circular.

As empresas — em particular arquitetos, fabricantes e projetistas de produtos — são chamados para se posicionar e projetar mercadorias que, quando não são mais necessárias, podem devolver em segurança os seus “nutrientes” para a indústria e para a mãe natureza.

Se planejarmos — se projetarmos corretamente — tudo é possível. Você também gostaria de contribuir para criar uma economia circular? Confira o Cradle to Cradle Products Innovation Institute  para ver o que ele faz e leia o livro de William McDonough e Dr. Michael Braungart — você não vai se arrepender.

 
See how the Cradle to Cradle Products Innovation Institute explains the near future of production design.
“Pode até haver um relatório de sustentabilidade no seu site, mas quando você sai para ver um cliente e diz a ele que você tem um produto Cradle to Cradle, poderá ver o seu rosto se iluminar em reconhecimento ao seu esforço.”

Bridgett Luther

Ex-presidente e cofundadora do Cradle to Cradle Products Innovation Institute

Biografia rápida de Bridgett Luther

Cofundadora do Cradle to Cradle Products Innovation Institute, Bridgett Luther tem uma longa história de envolvimento em proteção ambiental e conservação de recursos. Por cinco anos, foi diretora do Departamento de Conservação da Califórnia, com responsabilidade por uma ampla variedade de programas, incluindo o programa de reciclagem de recipientes de bebidas da Califórnia.