Smart Mobility

Elevador divisor de águas irá transformar o transporte subterrâneo

Sistemas de transporte público eficientes são um componente essencial de cidades habitáveis. Ainda assim, muitas vezes se esquece que, para pessoas que usam o metrô diariamente, o acesso das ruas às estações subterrâneas é tão importante quanto a eficiência da rede metroviária.

O URBAN HUB conversou com Chris Williamson, sócio fundador da WestonWilliamson+Partners, sobre como ele vê o futuro das estações de metrô de centros urbanos como Londres.

Smart Mobility
Mantém as pessoas se movendo rumo a soluções melhores - Pessoas que estão cansadas de cidades congestionadas estão contribuindo com inovações por meio de novas tecnologias móveis e aplicativos intuitivos, que melhoram a integração do transporte público, a infraestrutura e o compartilhamento de carros.
904 visualizações

Criado em 07/06/2016

Um desafio complexo

Ao criarem estações subterrâneas de metrô, que muitas vezes interligam várias linhas sobrepostas, os arquitetos enfrentam dificuldades logísticas imensas. Outros desafios são obstáculos subterrâneos e limitações quanto à profundidade que os passageiros estão dispostos a percorrer a pé. Mas com o aumento da densidade populacional nas cidades, mais interconexões e linhas mais profundas já são uma necessidade.

Uma nova tecnologia de elevadores (chamada MULTI) está chamando a atenção e inspirando os principais arquitetos. O sistema sem cabos, movido a um motor linear, pode ser implementado com múltiplas cabines por poço, que circulam em um ciclo contínuo. Esta solução é capaz de reduzir os tempos de espera a meros 15 a 30 segundos. E mais: os elevadores poderão até mesmo se mover horizontalmente.

É uma grande solução para arranha-céus, mas também uma excelente opção para melhorar o transporte subterrâneo.

Uma solução para arranha-céus chega ao subsolo

Inspirado pelas opções de design oferecidas pelo MULTI, o arquiteto Chris Williamson (sócio fundador da WestonWilliamson+Partners, especialista no design de estações de transporte público) apresentou diversas maneiras em que o MULTI poderia melhorar muito o acesso às estações subterrâneas e eliminar as limitações causadas por nossa atual dependência de escadas rolantes para chegar às plataformas subterrâneas.

Williamson vislumbra estações de metrô mais eficientes que exijam menos espaço para a construção. Suas ideias poderiam melhorar a capacidade de transporte e criar novas conexões entre as plataformas, linhas, estações e outras formas de transporte.

Chris Williamson

Chris Williamson (RIBA, RPTI, MAPM, BA Arch Hons, Dip Arch, MA Urban Design, MSC Project Management) é sócio fundador da WestonWilliamson+Partners, onde é responsável pela Gestão do Design, garantindo que todos os projetos recebam recursos adequados e que todo o trabalho seja concluído dentro dos mais altos padrões. Chris coordena a iniciativa da empresa de promover desenvolvimento orientado para o transporte, integrando as diversas vertentes de seu trabalho.

 

 

Acesso facilitado

Atualmente, passageiros de metrô muitas vezes precisam descer diversos níveis, passar por longos corredores e usar diversas escadas rolantes até chegar a um trem. Quando há um elevador, sua capacidade operacional é limitada. Ambas as opções podem ser demoradas e estressantes para os passageiros.

Segundo Chris Williamson, porém, isso mudará. Ele afirmou: “Uma vez que o MULTI aumenta significativamente a capacidade operacional e reduz os tempos de espera pela cabine, muito mais pessoas poderão usar o elevador em vez das escadas rolantes.”

“Quando as estações reduzirem a dependência de escadas rolantes, será mais fácil construir estações. A construção de estações exigirá um terreno menor no nível da rua e, portanto, será mais fácil o posicionar a estação exatamente no destino desejado pelas pessoas.”

Chris Williamson

Sócio fundador, WestonWilliamson+Partners

Estações mais profundas evitariam obstáculos subterrâneos

Por baixo da superfície de grandes cidades, há uma infraestrutura tão complexa quanto aquela no nível do solo: linhas de metrô, esgotos, profundas colunas de fundações de arranha-céus e, às vezes, até mesmo catacumbas e tesouros arqueológicos. Para cidades como Paris, Londres e Nova Iorque, não há um registro completo do que existe no subsolo.

Williamson explica: “Muitas vezes é impossível construir uma nova linha de metrô através dessa complexa rede subterrânea. Mas será possível construir uma nova linha por baixo dela, se ela for atendida por elevadores.”

A 58,5 metros abaixo da superfície, Hampstead é a estação mais profunda de Londres. Mas isso não é suficiente para que as linhas corram por baixo das colunas de fundações de arranha-céus, que podem chegar a 100 metros. Com a velocidade e a capacidade operacional do MULTI, as estações poderiam facilmente existir em profundidades muito maiores do que as possíveis atualmente com escadas rolantes.

“Ao trabalhar em espaços urbanos estreitos e históricos, o MULTI permite que o acesso por elevador seja posicionado no melhor local, respeitando o contexto da cidade e, simultaneamente, viabilizando o acesso direto à conexão subterrânea de transporte.”

Chris Williamson

Sócio fundador, WestonWilliamson+Partners

Maior alcance, mais pontos de acesso para estações individuais

Com a opção de movimento horizontal oferecida pelo MULTI, as estações poderiam ser desenhadas com múltiplos pontos de acesso em locais estratégicos e, portanto, servir a uma área maior dentro da cidade. Como as estações individuais ofereceriam transporte a áreas mais amplas, o número total de estações poderia ser reduzido, ajudando a reduzir os custos gerais com a construção de novas linhas de metrô nas cidades.

Isso levaria a outras aplicações potenciais, por exemplo conexões diretas de elevador de estações subterrâneas a outras estações próximas, ou a shopping centers, a plataformas de transporte de superfície ou até mesmo ao topo de arranha-céus.

 

“Para nós, designers de alguns dos mais emocionantes projetos de infraestrutura de transporte no mundo, o conceito MULTI oferece um potencial fantástico para melhorar as vidas dos viajantes. Passageiros poderão acessar diversos destinos sem trocar de cabine, contribuindo para a sustentabilidade ao poupar energia e também ajudando a criar uma cidade civilizada.”

Chris Williamson

Sócio fundador, WestonWilliamson+Partners

Solução no nível da rua

O MULTI poderia até mesmo levar passageiros a passarelas expressas como a ACCEL, nas quais os pedestres podem se locomover em segurança a velocidades maiores do que em esteiras rolantes comuns. Isso ofereceria uma opção no nível da rua para aumentar o alcance de estações individuais. Tal como o MULTI, a ACCEL usa a tecnologia maglev, mas desta vez revolucionando as esteiras rolantes.

Com o aumento da urbanização, as cidades precisam superar muitos desafios para garantir um transporte público eficiente. Felizmente, há tantas soluções quanto há desafios. O URBAN HUB está aqui para mantê-lo informado.

“Ao se deslocarem, as pessoas muitas vezes estão muito ansiosas e precisam de rotas claras e descomplicadas. O MULTI permitirá alcançar destinos rapidamente, com segurança e conforto, sem estresse.”

Chris Williamson

Sócio fundador, WestonWilliamson+Partners