Ninguém deixado para trás – melhor mobilidade para o crescente número de idosos urbanos

Como é envelhecer em uma cidade? Isso depende de muitos aspectos: saúde, condição financeira, amigos, família, etc. Mas também depende da infraestrutura física e técnica disponível. Infelizmente, muitas cidades não têm infraestrutura adequada para todos, e muitas tecnologias de mobilidade não foram renovadas há décadas.

Algumas mudanças, pequenas ou grandes, podem aumentar bastante nossa qualidade de vida. Por isso, muitas cidades estão realizando melhorias e diversas empresas estão investindo em novas soluções inteligentes para ajudar. Tanto para atravessar a cidade quanto para se locomover em casa, novas soluções para idosos e outras pessoas estão começando a aparecer.

Read more...

As cidades começam a dar mais atenção aos idosos

Sabe-se que a população mundial é grande e continua crescendo. Ela também está envelhecendo: uma a cada oito pessoas tem mais de 60 anos. Com uma população mundial de 7,4 bilhões, isso significa mais de 900 milhões de idosos! Esse é um fenômeno relativamente novo, especialmente em algumas regiões. Mas com as melhorias em tecnologia, saúde, nutrição e outros padrões de vida em todo o mundo, mais pessoas estão vivendo por mais tempo do que nunca.

Nossa composição demográfica em mutação também resulta em mudanças nas cidades, lar da metade da população mundial. A vida urbana pode ser bem atraente para os mais velhos. Serviços, compras e atividades de lazer são abundantes, diversificados e concentrados nas cidades. Os idosos gostam da vida urbana por muitas das mesmas razões que qualquer outra pessoa!

Sem dúvida, os idosos que aproveitam ao máximo sua vida urbana estão beneficiando a si próprios. Pesquisas mostram que idosos ativos permanecem mais saudáveis física e mentalmente, e por mais tempo.

Planejamento urbano para pessoas com dificuldade de locomoção

Mas para aproveitar todas as oportunidades que a cidade oferece, é preciso poder chegar até elas. Os idosos, bem como outras pessoas com alguma dificuldade de locomoção, às vezes veem que as cidades não são bem planejadas para suas necessidades de mobilidade.

No entanto, novas tecnologias possibilitam opções de transporte compartilhado. E um bom sistema de transporte público é um componente essencial para idosos. Não adianta ter lugares maravilhosos para visitar se as pessoas não conseguirem chegar lá. Uma boa mobilidade, ou seja, a capacidade de ir e vir livremente, é um elemento-chave para incluir os idosos na sociedade, além de ajudar a manter as comunidades saudáveis e com uma alta qualidade de vida.

Criando mais mobilidade

Muitas cidades já adotaram medidas positivas para melhorar a mobilidade. Vagas de estacionamento reservadas para deficientes são de grande ajuda para muitos motoristas com dificuldade de locomoção. Rampas permanentes nas calçadas facilitam a locomoção de pessoas com andador ou cadeira de rodas nas ruas urbanas. Outros tipos de rampas, passagens móveis, escadas rolantes, cadeiras elevatórias e elevadores permitem o acesso de um nível ao outro, diferentemente das escadas, que podem ser uma barreira insuperável para muitas pessoas.

A capacidade de se locomover livremente pela cidade é importante para todos, incluindo os idosos. Mas a mobilidade urbana começa em nossos próprios lares, uma área frequentemente ignorada que agora tem recebido mais atenção. A mobilidade dentro de nossa casa, incluindo na hora de chegar e de sair, é onde começamos com a qualidade de vida.

Boa mobilidade começa em casa

A mobilidade no lar pode ser alcançada por uma rampa de acesso ou por outros meios como cadeiras elevatórias e elevadores para residências. Em muitos casos, essas soluções são instaladas em uma estrutura existente, tornando cada instalação complexa, demorada e única. As instalações também são sempre únicas porque cada pessoa é diferente e os problemas de mobilidade são variados. Além disso, elas são complicadas devido ao aspecto emocional de precisar instalar permanentemente um grande equipamento técnico dentro de casa. O custo, é claro, pode ser outra barreira.

Novas tecnologias estão fornecendo uma forma melhor de aprimorar a mobilidade. Na Alemanha, na Espanha e na Holanda, está sendo testado um novo método que agiliza o processo de planejamento, reduz o tempo de entrega em até quatro vezes e até torna o processo mais agradável. Com um novo dispositivo de realidade mista (MR) da Microsoft chamado HoloLens, técnicos são capazes de medir com mais precisão e rapidez o espaço de instalação de uma cadeira elevatória.

C
 

O HoloLens oferece ainda mais benefícios, pois usa uma interface de ponta que permite ao usuário entrar no mundo gráfico de alta qualidade da realidade mista, ou seja, a combinação do que existe no local com a realidade virtual do que poderia estar lá. O dispositivo também reduz o tempo de planejamento e design, reduzindo os custos do usuário final.

Esta fascinante tecnologia de “pré-visualização” transforma uma necessidade médica indesejada em um novo assistente muito útil. O HoloLens mostra diferentes opções de design em todas as cores, permitindo que o cliente potencial veja a nova cadeira elevatória como um novo móvel da casa. Isso reduz o estresse, facilita a transição e fornece uma nova solução de mobilidade que melhora a qualidade de vida, além de combinar com a decoração e a dignidade da casa.

Vamos tornar a cidade um lugar acessível a todos

Conectar melhor pessoas de todas as idades com a cidade onde moram é um enorme desafio – e uma grande oportunidade – para planejadores e empresas. Na verdade, muitas vezes são empresas que identificam áreas de melhoria que o governo local e os defensores da inclusão não percebem, como a capacidade dos idosos de sair, entrar e andar em casa. Esse é um componente vital da inclusão de todas as gerações.

H