Aumentando o verde em prédios urbanos com tecnologias modernas para elevadores

Energy efficient buildings like the World Financial Center and Torre Agbar

A maioria das pessoas viverá em uma cidade em algum momento da vida e, se quisermos reduzir o consumo de energia de forma sustentável, temos que nos concentrar onde as pessoas vivem e trabalham. Dentro das cidades, a maior parte da energia é consumida por edifícios, indústria e transportes – nessa ordem. Para prédios, elevadores representam uma oportunidade substancial de investimento na economia de energia e custos a longo prazo.

Considerando que a geração anterior de elevadores chega a consumir até 10% da energia total de um edifício e tem uma vida útil de 30 anos de serviço, é hora de começar a pensar seriamente sobre a melhoria da eficiência dos elevadores.

Read more...

O chamado da selva urbana

O crescimento já existente em populações urbanas exigirá novo espaço residencial e comercial. Estima-se que 250 milhões de unidades residenciais novas serão necessárias antes de 2030, nos 12 países mais populosos, que juntos respondem por 61% da população global. Essa urgência exige edifícios altos, que ocupem menos espaço e permitam a gestão de energia inteligente.

O desenvolvimento de novos imóveis comerciais e residenciais representa uma enorme oportunidade para melhorar o desempenho ambiental das cidades. Mas apenas se essas propriedades forem construídas com tecnologias modernas que permitam conceitos de arranha-céus mais limpos, ecológicos e eficientes.

Building's share of energy consumption in 2030

Demanda de energia tão alta quanto nossos edifícios

A demanda global de energia irá aumentar em 20-35% ao longo dos próximos 15 anos – com cidades que consomem quase dois terços desse montante. Os edifícios são os maiores consumidores de energia municipal e, portanto, representam o item que merece mais concentração para reduzir o consumo global de energia.

Claramente, os edifícios são um alvo óbvio para cidades com o objetivo de reduzir sua pegada de carbono. Se a engenharia inteligente e as novas tecnologias criativas tiverem sucesso em duplicar a eficiência energética dos edifícios, o consumo mundial de energia seria reduzido em 10% até 2030.

Os dinossauros do consumo de energia

A escassez de recursos é uma realidade futura que precisaremos enfrentar. Medidas de conservação de energia precisam ser implementadas em edifícios agora para causar um impacto significativo em 15 anos. Por isso que é essencial agir agora.

Os edifícios na Europa necessitam de uma extensa renovação para reduzir o consumo de energia, por exemplo apenas a modernização de elevadores poderia reduzir o consumo de energia em até 60%. De um ponto de vista financeiro, a energia deve ser vista como um fator de custo considerável para qualquer edifício. A substituição de elevadores e escadas rolantes mais velhas podem melhorar muito o consumo de energia de um edifício e, portanto, sua eficácia de custo.

Cities will account for 73% of global consumption in 2030 Cities will account for 73% of global consumption in 2030
World Financial Center in Shanghai – an energy efficient building

A nova classe de verde

Elevadores, escadas rolantes e outras soluções de mobilidade estão desempenhando um papel cada vez mais importante na criação sustentável – potencialmente autossuficiente – de edifícios. A economia de energia não é apenas ambientalmente segura: ela também faz sentido financeiramente. Aqui estão alguns casos recentes em que os sistemas de transporte de passageiros de ponta reduziram com sucesso o consumo de energia.

Elevadores de cabine dupla são uma dessas inovações e foram introduzidos em 2008 no World Financial Center, em Xangai, o edifício mais alto da China. São quatro elevadores de cabine dupla – cada um composto por dois compartimentos de 2 mil kg de capacidade, acoplados um em cima do outro – para levar os visitantes a uma altura de 240 metros, onde eles também servem como um céu saguão.

Esses elevadores não são apenas rápidos: eles são os elevadores de cabine dupla mais rápidos do mundo. Os visitantes chegam ao topo em velocidade recorde, viajando a dez metros por segundo (36 km/h). Para atingir essa velocidade, os engenheiros da thyssenkrupp Elevator desenvolveram revestimento aerodinâmico especial para os compartimentos e as portas. E para garantir uma viagem confortável velocidades tão altas, os trilhos-guia no vão usam tecnologia laser de alta precisão e guias de roletes ativos controlados eletronicamente para garantir viagens de baixa vibração. Além disso, eles são eficientes, com o mais alto índice de eficiência VDI 4701 Classe A.

Enquanto isso, em Barcelona (Espanha), a Torre Agbar recebeu vários prêmios por seu design, uso eficiente da terra e sensibilidade para o meio ambiente e a sociedade, incluindo a certificação de sustentabilidade do BREEAM, um programa de avaliação líder. Seus elevadores usam um sistema de roteamento inteligente para otimizar o uso e reduzir o consumo de energia.

Além de melhorias de eficiência, os elevadores também podem funcionar como geradores de energia. Unidades regenerativas, que capturam energia quando as cabines desaceleram, podem reduzir as necessidades de energia de um edifício em até 30%. No novo One World Trade Center, em Nova York, a energia gerada é suficiente para alimentar o sistema de iluminação de todo o edifício. Leia mais em URBAN HUB.

Torre Agbar, Barcelona Torre Agbar, Barcelona
Torre Agbar, Barcelona, certificada pelo BREEAM

Reformas verdes inteligentes

Tecnologias regenerativas podem ser integradas em quase qualquer edifício existente. Como no exemplo acima, os elevadores recentemente remodelados na icônica torre de TV de Berlim também geram eletricidade à medida que descem. E eles são discretos: os elevadores foram personalizados para integrar em conformidade com os requisitos de segurança desse marco alemão.

Outro exemplo: um grande aeroporto dos EUA recentemente fechou uma parceria com a thyssenkrupp Elevator para modernizar suas escadas rolantes com a mais recente tecnologia de economia de energia. Ao entrar em um modo de espera especial quando não há passageiros precisando das escadas rolantes, eles economizam cerca de 60% da energia de execução.

Andreas Schierenbeck
“Hoje, edifícios energeticamente ineficientes simplesmente não cooperam com nossas crescentes necessidades de energia. As decisões que tomamos agora afetarão o futuro das cidades. É imperativo para o desenvolvimento urbano permanecermos com visão de futuro e foco na sustentabilidade – para o benefício das gerações vindouras.”

Andreas Schierenbeck, CEO da thyssenkrupp Elevator, no Fórum EE Global, 12-13/05/2015, Washington D.C.

O melhor escritório economiza energia

Embora economias futuras certamente justificam o investimento, a construção de um edifício completamente novo e verde pode ser de custo elevado. No entanto, essa não é a única opção. Em muitos casos, faz mais sentido repensar e remodelar as estruturas existentes e descobrir como até mesmo edifícios históricos podem contribuir substancialmente para um mundo mais verde. Cuidado, porém, para buscar parceiros que se preocupem com o meio ambiente, tanto quanto você.

Credits

Stage Image 1: Shanghai lujiazui by jo.saulicensed under CC BY 2.0
Stage Image 2: Torre Agbar by Jimmy Baikoviciuslicensed under CC BY 2.0

Content Image 1: Shanghai lujiazui by jo.saulicensed under CC BY 2.0
Content Image 2: Torre Agbar by Jordi Masague

H