Cities

Universidade na cidade – não mais uma ilha de aprendizado, e sim um polo de cooperação

Vá para algumas das mais antigas universidades do mundo em Fez (Marrocos), Bologna (Itália) ou Santiago (Chile), e você verá que elas estão profundamente arraigadas na infraestrutura da cidade, um emaranhado de comércio e pessoas que emanam desta. Em algum lugar ao longo do caminho, no entanto, as universidades se tornaram conhecidas como “torres de marfim”, deixaram a sua posição central e se transformaram em verdadeiros claustros.

Mas ao longo das últimas várias décadas, instituições superiores de ensino foram colocadas novamente em órbita, formando parcerias com negócios locais e se envolvendo além dos muros da universidade. Os benefícios foram sentidos por estudantes, cidades e também pelas indústrias em busca de novos talentos para revigorar organizações mais antigas.

Cities
Inteligentes por dentro e por fora - De muitas formas, o conceito de cidade inteligente não é nada mais que um bom planejamento urbano, que incorpora os avanços da tecnologia digital e novas formas de pensar aos conceitos de cidade antigos, de relacionamentos, comunidade, sustentabilidade ambiental, democracia participativa, boa governança e transparência.
649 visualizações

Criado em 16/12/2016

Disseminando a riqueza do conhecimento

Uma universidade oferece contribuições valiosas e completas para a vida urbana. Os benefícios de ter uma universidade em uma cidade são múltiplos e naturalmente dependem de inúmeros fatores. No entanto, as universidades indiscutivelmente fornecem uma clara vantagem por impulsionar a prosperidade econômica.

Relativamente imunes a flutuações do ciclo comercial, as universidades empregam habitantes locais em trabalhos que variam desde pesquisa avançada até jardinagem. Universidades de sucesso também se expandem, acrescentando novos edifícios e revitalizando bairros antigos.

Além disso, universidades recebem constantemente concessões privadas e públicas para estudar ou pesquisar e desenvolver. Este fluxo de capital pode se transformar em um escoamento de recursos na forma de compartilhamento de inovadores progressos que podem ser testados em indústrias locais ou em projetos corporativos entre a academia e o comércio.

Talento feito em casa – cidades plantam futuras sementes de inovação

Uma universidade renomada atrai novos talentos. Se a relação entre a cidade e a universidade for aberta e produtiva, estudantes universitários – incluindo diversos imigrantes – se interessam mais por permanecer na cidade. Isso é particularmente verdadeiro em se tratando de trabalhadores em setores intensivos em conhecimento.

Universidades fornecem um recurso único para cidades interessadas em investir em indústrias do futuro. Ao fornecer especialização, encorajar a curiosidade, investir em novas ideias e atrair pessoas ambiciosas, a universidade urbana pode ser o canteiro onde se planta as sementes da inovação e empreendedorismo para a força de trabalho de amanhã. Enquanto esses terrenos férteis certamente se beneficiam de negócios existentes, eles também originam inúmeras novas empresas na forma de “start-ups”.

Veja exemplos como o Vale do Silício, na Califórnia, que surgiu a partir de uma relação mutuamente benéfica com a Stanford University. Ou a Route 128. Também conhecida como a Autoestrada da Tecnologia, em Massachusetts, ela está efetivamente na encruzilhada entre universidades como M.I.T. e Harvard e centros comerciais e políticos.

Empresas com perspectiva visionária não precisam mais procurar

Empresas localizadas em cidades procurando por potenciais trabalhadores contam com um reservatório de candidatos qualificados localizados bem próximos. Estudantes, bem como membros da comunidade acadêmica, estão ansiosos para formar parcerias com empresas com as quais eles possam testar os seus conhecimentos ou adquirir experiência de trabalho enquanto ainda estão estudando.

Empresas descobrem que não apenas podem utilizar recursos da universidade, mas também podem apoiar melhor os seus esforços em pesquisa e desenvolvimento. Observe o caso de Atlanta, Geórgia, e a Tech Square. Ao lado de centros de pesquisa públicos, doze empresas da lista Fortune 500 também criaram centros de pesquisa corporativa.

Um bom exemplo é o edifício Coda, um centro de inovação técnica conjunta para o Georgia Institute of Technology e empresas do setor privado. Trata-se de um edifício especial de uso misto com muitos detalhes inovadores, como o uso de elevadores TWIN, que maximizam o espaço e estabelecem o precedente para edifícios e economias proativas.

Tech Square, Atlanta – onde pesquisa e comércio se encontram
“O nosso ambiente de escritórios é muito como uma comunidade – todos temos uma verdadeira sede de conhecimento e há sempre professores, pesquisadores e CEOs de várias ‘start-ups’ vindo ao nosso escritório, o que nos ajuda a alimentar a nossa inspiração.”

Tré Watts – thyssenkrupp RIC, Atlanta, Geórgia

Estudantes levantam as mãos para a universidade da cidade

Construa e eles virão! Estudantes ficam ansiosos por encontrar universidades onde possam estudar e ao mesmo tempo encontrar estágios ou empregos. As oportunidades para criarem relações com futuros empregadores podem ser ideais em uma cidade que constrói um núcleo aberto para academia e comércio.

Sendo assim, não é de espantar que nos QS Top Universities Rankings, as três melhores cidades do mundo para estudar – Paris, Melbourne e Tóquio – receberam boas notas devido a boas colocações no quesito “atividade de empregadores”. A HEC Paris, por exemplo, possui uma extensa lista de parceiros corporativos que apoiam a universidade e fornecem oportunidades de estágio e carreira para os estudantes. Todos os três centros têm uma excelente concentração de empresas nacionais e internacionais com sólidos laços com a comunidade universitária.

Até mesmo cidades universitárias menores já sentiram o impacto de uma relação simbiótica entre a academia e o comércio. Por exemplo, Rottweil, Alemanha, onde a thyssenkrupp construiu uma torre de testes de P&D. Ela inspirou e abriu a porta para o intercâmbio com os milhares de estudantes de engenharia nas cidades vizinhas Stuttgart e Munique.

Nova torre de testes de elevador atraindo talentos em Rottweil
Nova torre de testes de elevador atraindo talentos em Rottweil
QS Best Student Cities 2016

A comunidade está no coração de toda universidade

Para uma universidade ser bem-sucedida no coração de uma cidade, ela também deve levar a cidade no seu coração. Os benefícios econômicos e as enormes oportunidades para abastecer o crescimento em ambos os lados foram claramente demonstrados nas últimas décadas, e a imagem da universidade como estando no núcleo da sociedade, e não às suas margens, retornou.

Universidades e cidades podem continuar o progresso obtido construindo pontes ao ampliar o seu alcance para outras áreas como questões sociais, artes e igualdade econômica. As universidades têm os recursos para mergulhar nos problemas atuais e têm a responsabilidade de compartilhar o conhecimento, enquanto as cidades devem abrir a sua infraestrutura para testar coisas novas.