Cities

Toronto faz parceria com Sidewalk Labs para criar seu primeiro bairro inteligente.

A tecnologia para cidades inteligentes continua sendo uma força que impulsiona o desenvolvimento urbano. Muitas cidades incorporaram com êxito a tecnologia da Internet das Coisas e digitalizaram alguns aspectos de suas infraestruturas. Outras tentaram construir cidades inteligentes da estaca zero, alcançando resultados distintos.

A Sidewalk Labs, braço tecnológico da Alphabet, empresa que controla o Google, embarcou em um projeto de desenvolvimento em Toronto. Anunciado em 2017, o Sidewalk Toronto vai surgir das águas como o ambiente definitivo da cidade inteligente e como um laboratório para inovação urbana. E o Urban Hub mostra o diferencial desse projeto.

Cities
Inteligentes por dentro e por fora - De muitas formas, o conceito de cidade inteligente não é nada mais que um bom planejamento urbano, que incorpora os avanços da tecnologia digital e novas formas de pensar aos conceitos de cidade antigos, de relacionamentos, comunidade, sustentabilidade ambiental, democracia participativa, boa governança e transparência.
1041 visualizações

Criado em 19/03/2018

Uma ideia brilhante: um bairro inteligente totalmente novo para Toronto

Há anos Toronto vem pensando em como revitalizar a sua orla. Em 2017, a cidade publicou uma solicitação de propostas para encontrar uma solução para explorar as possibilidades econômicas e sociais e construir um bairro que futuramente pudesse envolver todos os seus habitantes.

Foi aí que apareceu a Sidewalk Labs, que tem como foco a inovação urbana através de cidades inteligentes. A empresa já estava buscando o local ideal para criar a sua visão de uma cidade inteligente.

Foi o encontro de duas mentes com paixões semelhantes. Toronto, um polo dinâmico para a indústria de tecnologia e startups, já está habituada a promover uma economia baseada em inovações de ponta. Após ter sido selecionada como parceira pela cidade, a Sidewalk Labs comprometeu-se com US$ 50 milhões para a fase inicial de planejamento conjunto.

Apertando os primeiros parafusos

O plano é que o abrangente projeto, chamado Sidewalk Toronto, comece no Quayside, um trecho de 50.000 metros quadrados da orla, localizado no sudeste do centro de Toronto. Se a primeira parte do desenvolvimento sair como planejado, o projeto será expandido até Port Lands, uma larga península com um aterro do tamanho do centro de Toronto.

A ideia para a orla de Toronto não deixa pedra sobre pedra. Esse projeto de desenvolvimento urbano promete fornecer um exemplo de como cidades do futuro podem ser construídas. A Sidewalk Labs planeja construir uma cidade totalmente conectada, mas também quer promover uma colaboração contínua entre comunidade e planejamento urbano. A tecnologia está no comando, mas deve sempre estar a serviço da população.

Sobre o plano de US$ 50 milhões? No coração dele está uma rede digital, que irá se sobrepor a toda a infraestrutura física. Com uma interconectividade ideal, a vizinhança de Sidewalk Toronto vai ter à mão uma gama incomparável de serviços inteligentes com foco nas pessoas, sustentabilidade e mobilidade. Acrescente a isso um novo conceito de construção modular – e podemos ter acabado de chegar a um modelo para a cidade do futuro.

O Quayside e a área vizinha visados pela Sidewalk

A cidade inteligente da Sidewalk Labs – o progresso nunca termina.

Primeiramente, a coleta de dados por uma infraestrutura completa de wifi, com sensores e câmeras de rastreamento que vão servir como uma fonte unificada de tudo que entra e sai. Uma plataforma centralizada gerencia tudo, incluindo um aplicativo de mapeamento que registra o local em tempo real de tudo, desde os veículos autônomos até carrinhos de comida.

Os moradores contribuem com essa massa de dados através de um portal personalizado pelo qual podem enviar atualizações que vão da quantidade de pessoas dos locais até a cafeteria mais ensolarada. A partir disso, os cientistas de dados da Sidewalk Labs analisam os detalhes para entender o que está funcionando e identificar o que não está, fazendo ajustes constantes para achar a estratégia mais eficiente e produtiva.

Esse é um trabalho em constante evolução, que nunca para. Quem está acompanhando os planos e a visão da Sidewalk Labs tem se encantado com as possibilidades. O dia está mais quente que o normal? Toldos se abrem para oferecer uma proteção extra. Nenhum ônibus chegou no ponto? Um robô-táxi já está a caminho. Vazamento no encanamento? Os sensores perceberam antes que você pudesse pensar em chamar o encanador.

Entre – mas não no banco do motorista.

A direção autônoma promete ser um dos resultados mais prováveis dessa cobertura digital em massa. Deixe de lado os carros particulares e abrace os designs urbanos e opções de trânsito centradas nas pessoas. O objetivo é que menos de 20% dos habitantes do Quayside possuam um carro.

Uma frota de taxibots e ônibus sem motoristas levarão as pessoas de A até Z. Uma rede automatizada de veículos-robôs vai para todos os lados… até para baixo. A Sidewalk Labs já planeja construir canais subterrâneos para caminhões automatizados executarem serviços que vão de entregas à coleta de lixo.

Não importa quais são as soluções de mobilidade, a estrada será pavimentada para meios de transporte não convencionais, como compartilhamento de carros, além de ciclistas e pedestres. A rede digital vai sustentar isso controlando semáforos adaptáveis e lançando mão de uma tecnologia de sensores que avalia os níveis de poluição atmosférica e prioriza os deslocamentos a pé e em duas rodas.

Sustentabilidade também inteligente.

Mas quem ou o que vai fornecer energia para toda essa tecnologia digital? Eletricidade não cresce em árvores, mas a Sidewalk Labs quer garantir que, sim, ela “cresça” em telhados. Uma cidade inteligente deve explorar novas tecnologias para criar sistemas de energia sustentáveis.

O bairro terá sua própria microrrede. O objetivo é que 10% da energia seja gerada no local, o que poderá ser alcançado cobrindo 50% de toda a área dos telhados com coberturas fotovoltaicas. Uma rede térmica também vai contribuir para recircular a energia de fontes combustíveis não fósseis para aquecer e resfriar os prédios.

Um descarte eficiente e ecologicamente consciente de lixo também contribui para um alto nível de sustentabilidade, e isso não foi esquecido no planejamento do Quayside. Resíduos sólidos e reciclagem serão levados para um ponto central e, de lá, transportados para processamento em outro local. Materiais orgânicos irão para um biodigestor anaeróbico para possivelmente serem transformados em combustível.

Uma cidade inteligente deve explorar novas tecnologias para criar sistemas de energia sustentáveis

Construa e eles virão... e reutilizarão

A produção de alguns materiais, no passado, muitas vezes tinha um efeito pouco amigável no meio ambiente, enquanto as tecnologias de construção também eram muito pouco flexíveis, com um ciclo de vida curto. Desmontar as coisas e reconstruí-las várias vezes faz parte do desenvolvimento urbano “antigo”.

A Sidewalk Labs propõe prédios de lofts com módulos reconfiguráveis que crescem e se adaptam aos atuais ocupantes ou às necessidades da cidade. Escritórios, residências e espaços de produção podem ocupar o mesmo edifício com uma fachada padrão e interiores flexíveis.

Imagens prévias dos planos mostram um atraente mix de estilos, utilizando materiais reciclados e madeira no lugar do aço, abrangendo de arranha-céus modulares a conjuntos residenciais construídos a partir da técnica de casa passiva. A construção seria mais rápida, gerando menos custos e dando uma nova vida aos “modos antigos”, conforme as mudanças de nossas necessidades e as da população.

A tecnologia deve aprimorar a comunidade, não substituí-la

Construção da comunidade high-tech

Enquanto o Quayside e os outros projetos do Sidewalk Toronto estão sendo construídos a partir da internet, os planejadores e o município de Toronto não deixam de enfatizar que eles compreendem que uma grande cidade ou bairro não podem ser construídos de cima para baixo. A tecnologia deve aprimorar a comunidade, não substituí-la.

Os moradores têm expressado preocupações sobre exclusividade (porto para os ricos), viabilidade econômica e privacidade. Tanto o município de Toronto como a Sidewalk Labs insistem que estão levando tudo isso em conta, que vão colocar as pessoas no comando da cidade e que as cidades inteligentes podem remover as barreiras que normalmente atravancam o progresso.

O plano mestre para inteligência. Um plano para o sucesso?

A Alphabet, através da Sidewalk Labs, se junta a uma longa lista de sonhadores, arquitetos e planejadores urbanos que têm como objetivo construir cidades com plano mestre, indo de Brasília a Songdo e a Masdar. A Alphabet também representa um novo participante na área de planejamento urbano: a empresa de tecnologia. Elas já forneceram novas tecnologias inteligentes para a cidade, mas nunca o pacote completo.

Recentemente, a filial da empresa de investimentos de Bill Gates, a Cascade Investment LLC, adquiriu uma área em Arizona para construir uma cidade inteligente. Essa é uma nova tendência em inovação urbana? O mais provável é que continuemos vendo parcerias entre os municípios e as empresas de tecnologia em projetos mais contidos, como a parceria da Cisco, Sprint e Think com Kansas City, nos EUA, para criar um corredor de cidade inteligente.

Conforme o Sidewalk Toronto se desenrola, ele será comparado a Songo e a Masdar, projetos que não exatamente cumpriram com as expectativas. Críticos sugerem que os planos para o Sidewalk Toronto não incluem nada que seja novo de fato, sendo a escala e o número de tecnologias inteligentes o único diferencial. Mas a Sidewalk Labs discorda e afirma que é o primeiro plano realmente holístico e que está em desenvolvimento há mais de dez anos.

O Quayside – uma cidade inteligente em movimento

Enquanto Toronto e a Sidewalk Labs continuam avançando com planos inovadores, muitos irão acompanhar de perto o desenrolar dos planos, quais visões sairão do papel e quais não se tornarão realidade. A Urban Hub com certeza irá acompanhar esse progresso.

O ano de 2018 será dedicado a um planejamento de grande alcance e a uma consulta extensa à comunidade que irão levar à criação do Plano Mestre de Inovação e Desenvolvimento para formar a base para o desenvolvimento inicial. O Sidewalk Toronto tem certeza que o projeto será um grande motivador de novas ideias e se tornará um polo global para a indústria de inovação urbana inteligente.

Image Credits:

Self-driving car, taken from commons.wikimedia.orgsome rights reserved

All other image credits go to sidewalktoronto.ca