Cities

A ascensão da escala rolante como elemento essencial das cidades modernas

Cem anos antes do Vale do Silício se tornar um termo conhecido, a história da inovação estava sendo feita no Brooklyn, em Nova York. Na virada do séc. XX, em Coney Island, uma invenção incrível que mudaria para sempre a forma como nos movimentamos no mundo foi apresentada ao público: a primeira escada rolante. Sejam escadas rolantes curvas ou em espiral, externas ou extremamente longas, o meio de transporte universal e indispensável hoje em dia tem uma história fascinante que se destacou no passado como um belo exemplo de inovação tecnológica. O URBAN HUB faz uma retrospectiva da história da escada rolante, mas também traz alguns novos desenvolvimentos tecnológicos que podem chegar em breve a uma escada perto de você.  
Cities
Inteligentes por dentro e por fora - De muitas formas, o conceito de cidade inteligente não é nada mais que um bom planejamento urbano, que incorpora os avanços da tecnologia digital e novas formas de pensar aos conceitos de cidade antigos, de relacionamentos, comunidade, sustentabilidade ambiental, democracia participativa, boa governança e transparência.
183 visualizações

Criado em 26/09/2018

Inovação através da história

Desde quando as primeiras pessoas testaram com hesitação o primeiro protótipo de Jesse Reno em Coney Island, em 1896, a eficiência, flexibilidade e longevidade das escadas rolantes vêm mudando fundamentalmente a maneira como nos movemos nos espaços urbanos.

Hoje, as escadas rolantes são mais do que um show secundário. Elas têm um papel fundamental em manter nossas economias de consumo funcionando perfeitamente. Uma escada rolante com defeito pode significar perda de trens ou compromissos, e estudos mostraram que uma escada rolante quebrada em um shopping center pode causar estragos no volume de vendas do andar superior.

A prova disso está nos números. De acordo com a National Elevator Industry,  uma associação comercial do setor, uma escada rolante média transporta atualmente 150 vezes mais passageiros do que um elevador comum. Sim, você leu direito: enquanto um elevador médio transporta cerca de 20.000 pessoas por ano, a escada rolante média transporta mais de 3 milhões de pessoas anualmente.

Dificuldades iniciais

Assim como qualquer inovação de grande porte, transformar a escada rolante do que foi idealizado na mente dos seus inventores para uma parte da vida diária exigiu muito mais do que apenas garantir a patente. Fazer com que as pessoas comprassem a ideia de uma escada que sobe sozinha exigiu muito de um outro tipo de trabalho.

A primeira pessoa pública a andar no protótipo de Reno, em Coney Island, na verdade teve que ser incentivada (leia-se: fisicamente empurrada). Os primeiros usuários da primeira escada rolante da Inglaterra, inaugurada em 1898, na Harrods em Londres, ficaram conhecidos por ficarem tontos ou até mesmo desmaiarem devido à experiência, com os vendedores levando “sais com cheiros e conhaque” para reanimá-los.

Indo para outro patamar

Não demorou muito para que as massas hesitantes fossem conquistadas pela versatilidade, utilidade e facilidade da escada rolante. Na época em que um modelo em funcionamento foi apresentado como meio de transporte auxiliar na Paris Exposition Universelle, em 1900, todo mundo no evento só falava sobre isso.

Conforme as escadas rolantes começaram a se tornar mais comuns, todo mundo queria um pedaço do bolo da patente. Os inventores ficaram mexendo em diferentes modelos, cada um mais fantástico que o outro. Os fabricantes, disputando uma fatia do mercado, lançaram novas variações, como a escada rolante curva e as escadas motorizadas, em movimento e elétricas.

Coney Island

Escadas rolantes do presente e do futuro

Desde os primeiros grandes passos, as escadas rolantes se desenvolveram significativamente, em alguns casos refletindo os objetivos dos primeiros protótipos. Elas foram adaptadas a uma ampla gama de diferentes espaços por questões práticas e instaladas de formas inovadoras – como a escada rolante em espiral customizada na loja de departamentos The New World Daimaru, em Xangai – como um elemento de destaque visual.

A escada rolante mais longa da thyssenkrupp no mundo vai nas profundezas da estação de metrô de Okruzhnaya, na Rússia, que, por necessidade, passa por baixo do rio Moskva e o terreno pantanoso abaixo dele. Sem essa escada rolante, os passageiros da Rússia teriam que subir quase 300 degraus só para sair da estação. Isso sim é um exercício urbano!

A escada rolante moderna dos dias de hoje está se tornando um modelo de eficiência energética simplificada e um exemplo de confiabilidade. Graças ao consumo de energia reduzido, à manutenção preditiva e à iluminação por LED em modelos de escada rolante como a Victoria, as escadas estão mais seguras – e com menos probabilidade de quebrar – do que nunca antes.

Por fim, outro “deslocador de pessoas ” é o ACCEL, uma solução flexível e eficiente que está encurtando as distâncias em vários prédios e espaços urbanos.

O grande debate – Qual é a forma ideal de se andar em uma escada rolante?

Em diferentes cidades pelo mundo, você pode ver diversas abordagens sobre o uso de uma escada rolante. Afinal, há uma maneira certa ou errada? Se você estiver andando com uma criança pequena, dar as mãos e ficar atento à segurança são a prioridade.

Muitas pessoas seguem a regra “em pé à direita, andar à esquerda”. No entanto, os técnicos de escadas rolantes apontam que a maioria do desgaste nas escadas é causada pela distribuição de peso não uniforme. Além disso, a maioria das pessoas quer ficar parada, e, se houver passageiros parados dos dois lados, isso aumenta a capacidade em 30%.

É difícil mudar os hábitos, especialmente se as pessoas consideram falta de educação ficar em pé do lado esquerdo. As campanhas em Londres, Nanjing e Japão não conseguiram mudar o padrão do fluxo. Talvez uma inovação recente ou um novo recurso estejam sendo elaborados!

Agora, um comentário sobre os outros 125 anos

A escada rolante é um elemento tão essencial na vida das cidades que nos esquecemos facilmente do esforço inicial necessário para introduzi-lo no cotidiano. Após 125 anos, uma retrospectiva da história das escadas rolantes revelou que elas são um triunfo da vida urbana e da nossa capacidade de mudar.

 
A escada rolante do Zeche Zollverein

A escada rolante do Zeche Zollverein

 

Credits:

Coney Island, taken from flickr.com; image credits go to Internet Archive Book Images